Curso Simples Nacional Grátis Com Certificado

Curso Simples Nacional Gratuito

Para quem está pensando em abrir uma empresa ou quer apenas conhecer mais sobre o Simples Nacional, o Sebrae-SP tem um curso online gratuito com certificado que atende plenamente as necessidades e pode ser feito no passo do próprio aluno, sem pressão e de uma forma bem simplificada.

O Curso Simples Nacional oferecido pelo Sebrae conta com uma linguagem de fácil compreensão e um material didático de apoio, na apostila que acompanha o curso é possível acompanhar praticamente cada palavra dita nas aulas em vídeo, que usam uma linguagem bem cativante para motivar o aluno.

curso-simples-nacional

Explicando desde os impostos mais comuns até as normas e regulamentações necessárias para abrir uma empresa no Brasil, quem fizer o curso Simples Nacional vai aprender também quais as vantagens e desvantagens de ter o Simples Nacional, conhecendo o suficiente para saber se esse sistema de tributação é ou não viável para a sua empresa.

O Simples Nacional é uma forma de agrupar os principais impostos Federais, Estaduais, Municipais e recolher mensalmente todos estes impostos em um único boleto. Assim, tributos IRPJ, IPI, ICMS, CO- FINS, PIS, CSLL, ISS, INSS podem ser pagos sem muita complicação.

Para entender quem se enquadra ou não no Simples Nacional, e ajudar nas contas de quem já optou pelo Simples, ou até explicar como sair deste regime de tributação, o curso desenvolve uma história onde explica estas três situações de um modo que ajuda o aluno e não deixa nenhuma dúvida.

Para participar do curso grátis do Simples Nacional é preciso fazer um cadastro no Sebrae, o cadastro pode ser feito em uma agencia do Sebrae, e validado online ou diretamente online. Quem quer participar não precisa necessariamente possuir uma empresa, e também não é preciso estar em São Paulo, como o curso todo é online, o conteúdo pode ser acessado de qualquer lugar. A apostila que acompanha o curso está disponível para download diretamente na plataforma, na parte de “biblioteca virtual”, assim durante o curso é possível estudar e guardar o conteúdo mesmo estando offline.

Na página www.sebraesp.com.br no lado direito, já aparece a caixa para fazer login, com a opção para cadastro logo abaixo. Ao clicar, o usuário é encaminhado a uma página onde vai preencher seus dados pessoais e os de sua empresa se houver, em seguida ele escolhe um id e uma senha, que pode tanto ser o e-mail e uma senha ou o cpf e uma senha. Depois disto, ele pode ir direto para a página onde há cursos, e fazer o login para entrar e ter acesso aos cursos gratuitos da plataforma.

O curso sobre o Simples Nacional gratuito está relacionado a área de Legislação, mas há vários outros cursos disponíveis, e uma vez que já tenha sido feito o cadastro o usuário pode se matricular nos cursos que quiser.

O objetivo do curso é orientar o empresário sobre o que é o sistema de tributação Simples Nacional, e o público alvo é descrito como “empreendedores e empresários de empresas constituídas”, mas isto não é um limitador, e qualquer pessoa pode fazer. A carga horária do Curso Simples Nacional é de três horas, e segundo o site não há nenhum pré-requisito. Faça já a sua inscrição no curso do Simples Nacional do Sebrae e fique por dentro das novidades.

Leia Mais

Emitir certidão do Simples Nacional

Emissão da Certidão do Simples Nacional

O Simples Nacional foi criado para simplificar a vida do empreendedor de pequeno porte, ele é um regime simplificado de arrecadação, fiscalização e cobrança de tributos. A seguir você confere como emitir a certidão do Simples Nacional.

simples-nacional-emitir-certidao

O Simples Nacional unifica oito impostos em um único boleto ou guia de recolhimento, reduzindo a carga tributária das pequenas e micro empresas, uma redução que pode chegar a mais de 50% da carga tributária se estivesse, por exemplo, optando pelo Lucro Real ou pelo Lucro Presumido.

Os impostos recolhidos através do Simples Nacional são os seguintes:

  • Impostos Federais: IRPJ, CSLL, PIS, COFINS e IPI
  • Impostos Previdenciários: INSS Patronal
  • Impostos Estaduais: ICMS
  • Impostos Municipais: ISS

O Simples Nacional é aplicado somente a microempresas e empresas de pequeno porte, conforme definido pela Lei Geral, com base no seu faturamento anual. Atualmente esse faturamento funciona da seguinte maneira:

  • Microempreendedor Individual: com faturamento até R$ 60 mil anuais;
  • Microempresa: com faturamento até R$ 360 mil anuais;
  • Empresa de Pequeno Porte: faturamento entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões anuais.

Devemos ressaltar, no entanto, que o Microempreendedor Individual (MEI), embora regulamentado pela Lei Geral, não é classificado como empresa, já que a legislação para esse tipo de empreendimento é diferente.

O faturamento anual é o principal critério para identificar as empresas que podem optar pelo Simples Nacional, embora devam ser observados certos critérios, como a limitação da participação dos sócios e alguns setores de atuação.

Também é necessário que o microeempreendedor verifique se o seu município adota integralmente o Simples Nacional, recebendo através da mesma guia de recolhimento o ISS, que é de total responsabilidade dos municípios, inclusive com a aplicação de alíquotas, que podem ser entre 2% e 5% do faturamento de serviços.

Exigências para o Simples Nacional

Da mesma maneira que outras empresas, não classificadas no Simples Nacional, as empresas que integram o sistema são obrigadas a manter a documentação em ordem para os casos de fiscalização.

Também da mesma forma, é necessário que estejam em dia com os tributos para continuarem a usufruir dos benefícios dessa legislação.

Para a verificação das empresas com relação ao recolhimento dos tributos, a Receita Federal disponibiliza no seu site a emissão da certidão de regularidade do Simples Nacional, isto é: se você é microempresário e tem uma empresa cadastrada pelo Simples Nacional, poderá verificar a qualquer hora, através da internet, se seus recolhimentos estão em ordem, mantendo em seu poder a Certidão Negativa do Simples Nacional.

Com a certidão em mão fica mais fácil tratar de problemas bancários, de financiamento e de participação em licitações. O documento é exigido nesses casos.

Para emitir sua certidão negativa do Simples Nacional (e negativa, nesse caso, é a atualização do recolhimentos dos tributos), basta entrar no site da Receita Federal, no endereço eletrônico: http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/ATSPO/Certidao/CndConjuntaInter/InformaNICertidao.asp?Tipo=1 e informar o CPNJ da empresa, digitando em seguida os símbolos alfanuméricos apresentados pelo site.

A certidão negativa do Simples Nacional é emitida em seguida e, se houver alguma pendência, você deve procurar a Receita Federal mais próxima para a regularização.

Leia Mais

Simples Nacional 2016 – Tabela

Tabela Simples Nacional 2016

Sabe o que é Simples Nacional?  Este é um serviço aplicado pelo micro empresas ou empresas de pequeno porte que na verdade faz parte de um regime tributário diferenciado e que unificam em um único serviço todas as contribuições e impostos federais, estaduais e municipais (cerca de oito). Veja como consultar a tabela do Simples Nacional 2016.

Esta obrigação das micro e pequenas empresas devem ser entregues anualmente a Receita Federal. A Receita inclusive abriu as inscrições para o Simples Nacional que ficam abertas até o dia 28 de dezembro e também é o prazo para agendamento da opção Simples nacional para o ano de 2013. O micro e pequeno empresário podem solicitar de forma simplificada pelo portal pela internet. Após a inscrição no programa, esta ainda é sujeira a aprovação que acontece a partir de 1° de janeiro do ano que vem quando será gerado registro oficial da micro e pequena empresa no sistema Simples Nacional.

Pela internet é possível ainda consultar a tabela do Simples Nacional 2016 através do número do CNPJ da empresa (ver em www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/Aplicacoes/ATBHE/ConsultaOptantes.app/ConsultarOpcao.aspx).

Para ser aprovado no Simples Nacional a micro e pequena empresa precisa ter receita anual máxima de R$ 360 mil, no caso das micro empresas; e nas de pequeno porte renda anual máxima de R$ 3,6 milhões. Para o microempreendedor a renda máxima anual tem que ser de R$ 60 mil. Caso a empresa não seja aprovada no Simples Nacional, os interessados podem regularizar a situação e fazer novo registro no Simples Nacional 2016. Não havendo pendências, o registro no Simples Nacional ocorrerá normalmente.

É possível ainda fazer o cancelamento no Simples Nacional por meio de um aplicativo que está disponível no Portal do Simples Nacional (ver em www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/Default.aspx). Neste site há informações sobre o Simples Nacional como: legislação, manuais, parcelamentos e convênios, estatísticas de arrecadação entre outras.

Leia Mais

Super Simples – Consulta, Alíquota

Super Simples Nacional Alíquotas

Conhece o
Super Simples? Se tem uma micro ou pequena empresa saiba como consultar pelo sistema do Super Simples e ver as alíquotas que deve saber que incidem sobre os impostos. A seguir saiba mais sobre as alíquotas do Super Simples Nacional.

super-simples-nacional-consulta-aliquotas

O
Super Simples Nacional é uma nova forma de tributação das micro e pequenas empresas brasileiras, esta forma de sistema tributação é diferenciado e como o nome sugere é simplificado  e sobre as micro e pequenas empresas incide apenas uma única base de cálculo que é a receita bruta da empresa. O Super Simples também chamado de Simples Nacional unifica as tributações federais, estaduais e municipais e ainda prevê o super simples a isenção de impostos e taxas, não é bacana? Ideal para as micro e pequenas empresas que precisam deste incentivo para até mesmo crescer e conseguir se manter.

Veja também: Tabela Super Simples

Vamos conhecer algumas alíquotas do Super Simples que variam de acordo com o setor da empresa entre estas: comércio, indústria, serviços e locação de bens móveis e serviços. Quanto a alíquota esta é empregada sobre a receita bruta de cada empresa. Por exemplo, no caso das empresas do setor do comércio se a receita bruta é de até R$ 180 mil a alíquota é de 4%; se a receita for entre R$180 mil a R$ 360 mil a alíquota será de 5,47%; de R$ 360 mil a 540 mil, a alíquota é de 6,84%; de R$ 540 mil a R$ 720 mil, a alíquota é de 7,54%; Já no setor da indústria, as alíquotas se diferenciam um pouco: a receita bruta de até R$ 180 mil p valor da alíquota é de 4,5%; receita bruta de R$ 180 mil a R$ 360 mil, a alíquota é de 5,97%; receita bruta entre R$ 360 mil a R$ 540 mil, a alíquota é de 7,34%; já o rendimento bruto entre R$ 540 mil a R$ 720 mil, alíquota é de 8,04% Demais alíquotas do setor de serviços e locação de bens móveis e também prestação de serviços às alíquotas são: rendimento de até R$ 180 mil a alíquota é de 6%, de R$ 180 mil a R$ 360 mil a alíquota é de R$8,21%; receita bruta entre R$ 360 mil a R$ 540 mil, a alíquota é de R$ 540 mil; Receita bruta de R$ 540 mil a R$720 mil, a alíquota é de 11,31%. Quer saber demais alíquotas do Super Simples Nacional e demais setores, faça uma consulta do Super Simples, veja as alíquotas completas e demais setores acessando o seguinte endereço: www.portaltributario.com.br/legislacao/novatabelasimples.htm.

Leia Mais

Super Simples 2016 Tabela

Tabela Super Simples 2016

Conhece o
Super Simples? Este é uma nova forma de tributação das Micro e Pequenas Empresas e como o nome diz são mais simplificadas, pois incide sobre uma única base de cálculo que é a receita bruta da empresa. Desta forma é uma tributação simplificada e até mais justa, confira a seguir a tabela do Super Simples Nacional 2016.

super-simples

O
Super Simples ainda tem como característica unificar as tributações federais, estaduais e municipais. Este sistema ainda prevê isenções e impostos diferenciados.

O super simples é ainda um regime que compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicáveis nos casos acima de empresas. Este sistema é administrado por um Comitê Gestor composto oito integrantes entre estes: quatro são da secretaria da Receita Federal, dois integrantes dos Estados e do Distrito Federal e dois dos municípios. Para as micro e pequenas empresas que desejam integrar este sistema serão necessários: estar enquadrado na definição de micro e pequena empresa, cumprir os requisitos previstos na Legislação e formalizar a opção de Simples Nacional.

Entre as características do Super Simples estão: ser facultativa (vai de a empresa escolher esta opção de tributação), este sistema de tributação inclui outros tributos como IRPJ, PIS/PASEP, COFINS, IPI, CSLL, ICMS, ISS e Contribuição para a seguridade social destinada à Previdência Social destinada à Previdência Social, a cargo da pessoa jurídica, disponibilização de ME/EPP de sistema eletrônico para a realização de cálculo de valor mensal, devido à geração do DAS, entre outras características.

Quanto às características das micro e pequenas empresas destacamos as suas principais características que limitam a definição do que é micro e pequena empresa que limita também qualquer empresa aderir ao Super Simples. A definição está na Lei das Micro e Pequenas Empresas e define como micro empresa aquela cujo faturamento anual é de no máximo R$ 240 mil por ano. Já as pequenas empresas são aquelas que faturam entre R$ 240.000,01 a R$ 3,6 milhões anualmente e neste caso se enquadram nestas categorias de empresa.

Outras definições que definem as micro e pequenas empresas e que a enquadram no super simples são: as micro empresas são aquelas que têm até nove pessoas no caso do setor do comércio e serviços ou até 19 pessoas no caso setor industrial ou de construção. No caso das pequenas empresas estas tem de 10 a 49 pessoas no caso de comércios e serviços e de 20 a 99 pessoas no caso de indústrias e empresas de construção.

Por isso, se tem uma empresa como a descrita acima e ainda não aderiu ao Super simples saiba mais detalhes sobre este inclusive tabela do Super Simples acessando o link www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/SobreSimples.aspx e saiba mais informações.

Leia Mais